sexta-feira, 27 de março de 2015

Castell dell' OVO !!!

 Castelo do Ovo (em italianoCastel dell'Ovo; em latimCastrum Ovi) é o mais antigo castelo da cidade italiana de Nápoles depois do Castel Capuano, tendo desempenhado até o início do século XI, as funções de palácio real dos soberanos de Nápoles.
É um dos elementos que mais se destacam no célebre panorama do Golfo de Nápoles, localizando-se no ilhéu de Megáride. 
O seu nome deriva de uma antiga lenda, segundo a qual o  poeta latino Virgílio - que na Idade Média também era considerado como um mago - escondeu no segredo do edifício um ovo mágico que manteria em pé toda a fortaleza. A sua quebra provocaria não só o colapso do castelo, mas também uma série de ruinosas catástrofes na cidade de Nápoles.
O castelo surge em Megáride, uma ilha de tufo (em grego Megaris), extensão natural do monte Echia, a qual estava unida à terra firme por um istmo rochoso. Pensa-se que tenha sido aquele o ponto de desembarque dos cumanos, os quais, logo no século VII a.C.,
fundariam o primeiro núcleo de Palepoli, a futura Nápoles. 
Os primeiros assentamentos datam, portanto, dessa época.




Já no fim do século V, instalaram-se na ilhota monges basilianos, chamados da Panónia por uma matrona Bárbara, com as relíquias do Abade SeverinoAlojados inicialmente em celas dispersas (chamadas de romitori basiliani), os monges adotaram no século VII a Regra de São Bento e criaram um importante escritório (scriptorium), tendo provavelmente à disposição tudo o que restava da biblioteca luculana.  O complexo conventual foi, porém, arrasado no início do século X pelos Duques de Nápoles, para evitar que aqui se fortificassem os sarracenos, usando-o como base para a invasão da cidade, enquanto os monges se retiravam para a colina de Pizzofalcone

Todavia, num documento de 1128 vem novamente citada uma fortificação, denominada Arx Sancti Salvatoris pela igreja que aqui haviam construído os monges.




Rogério o Normando, tendo conquistado Nápoles em 1140 fez do Castelo do Ovo a sua própria sede e, com os normandos, iniciou um programa de fortificação sistemático do sitio, que teve na Torre Normandia o seu primeiro baluarte, sendo ali que drapejavam as bandeiras.







Com a passagem do reino aos suevos, através de Costanza d'Altavilla, o Castelo do Ovo foi posteriormente fortificado, em 1222, por Frederico II, Sacro Imperador Romano-Germânico, que fez dele a sede do tesouro real e mandou construir outras torres - a Torre de Culeville, a Torre Mestra e a Torre do Meio.
Depois do evento sísmico que em 1370 havia feito desmoronar o arco natural que constituía o istmo, a Rainha Joana  fê-lo reconstruir em alvenaria, restaurando também os edifícios normandos. Depois de ter habitado o castelo coo soberana, a rainha foi aqui aprisionada pelo seu infiel primo Carlos de Durazzo, antes de acabar exilada em Muro Lugano


Em 1503, o cerco de Fernando o Católico demoliu definitivamente o que restava das torres. O castelo foi, então, mais uma vez reestruturado massivamente, assumindo a forma que apresenta atualmente. Mudados os sistemas de armamento - das armas de lanço e de jacto às bombardas - foram reconstruídas as torres octogonais, espessadas as muralhas, e as estruturas defensivas deixaram de ser orientadas para o mar e passaram a sê-lo para terra.






Golfo de Nápoles, com o Vulcão Vesúvio, ao fundo !!






Eu estive lá em outubro de 2015 !!